Se, se, e se?!

Tantas vezes navegamos na hipótese, tantas passeamos nas conjecturas e nas ideologias e nas possibilidades, mas nunca paramos para pensar que de facto de nada nos serve.
Somos, reconhecidamente, um povo de ses, de, e se, de, ai se, e de quem me dera…
E isso faz-nos simultaneamente ser um povo de sonhos, e um povo que não os persegue…
Dentro do fatalismo crónico que nos pinta a alma, conseguimos sorrir cada vez menos, conseguimos querer cada vez mais, mas também conseguimos ser cada vez mais… burros!
Vivemos com o que não temos, e queremos sempre o que têm os outros, caminhamos sobre brasas, mas não lhes deitamos água, ao invés disso, tiramos os sapatos, e andamos mais devagar.
Qual o melhor conselho para darmos a nós próprios?
Já nem sei.
Vivemos numa terra com problemas de visão, de audição, de olfacto, de tacto… de tudo e mais alguma coisa.
Mas temos sol, cerveja, tremoços, camarões de espinho, vinho do bom, futebol, Fátima, Algarve, Madeira, Açores e tanto mais.
Ora o que fazer perante uma balança tão desequilibrada, que deixa a alma prostrada, a vida amaldiçoada, a cabeça mais pesada, a vista cansada, a sola dos pés queimada, a gasolina refinada, a chávena escaldada, a canção desencantada, e a guarda rebaixada?
Nada?
Nada… disso.
Fecha os punhos, cerra os dentes, levanta os olhos, olha em frente, vê mais longe, vê mais alto, sonha muito mas a prazo, conta trocos, lembra-te, nada vem por acaso.
Deus é meu, é teu, é nosso, mas não lhe peças mais do que ele por ti pode fazer, o Senhor só tem dois braços, e também tem de descansar, como podes tu pensar que ele só a ti tem de ajudar.
Tem calma, respira, visualiza, não desarmes, não desistas, acredita, mas trabalha meu malandro, trabalha, que só assim podes ser alguém.
É o trabalho que distingue o homem da besta.
E para besta já basto eu, que venho para aqui com a mania que consigo ordenar da forma certa, as palavras que me vêm à cabeça, mas até isso dá trabalho.
Ou seja, até para ser besta se é preciso trabalhar, e muito, porque senão confundir-te-ás com uma besta qualquer, e isso nunca.
Sou uma besta qualificada para tal, não façamos cá confusões.
Se queres ser besta, trabalha!

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s