O que dizes tu?

Ora então vamos lá devolver a este blog, a essência presente no seu título.
Ora o que venho aqui hoje expôr, é a triste constatação da realidade em que vivemos.
Nos dias de hoje, estou farto de ter cada vez amigos presenciais, e cada vez mais amizades mantidas apenas com o forçado recurso a “zingarelhos” tecnológicos, gadgets que permitem que possamos falar com os nossos amigos… que por vezes estamos anos e anos sem ver, mas que lamentavelmente, passamos a achar normal ter amigos com quem falamos apenas via, FACEBOOK, TWITTER, MESSENGER, ORKUT, IPHONE, 3G, HOTMAIL… por aí fora.
A essência do cara-a-cara desaparece a um ritmo gritante e alucinante, a impessoalidade e o embaraço esfumam-se, dando lugar a um reino onde tudo é permitido, onde a vergonha e a prudência se dissipam, e onde tudo é possível.
On line tudo é fácil, tudo é possível, tudo é VIRTUAL, tudo é fictício, tudo é estranhamente pessoal, real, e incrivelmente aceite pela maioria dos habitantes do planeta.
Neste campo dou um destaque e uma palavra de apreço ao povo PortuguÊs.
O Portuga aceita tudo e adapta-se às transformações com uma capacidade de encaixe que deveria ser objecto de estudo internacional.
Queixa-se, rabuja, refila, mas lá se adapta, se renova, se transforma, e se insere na realidade que lhe é apresentada, sem muita dificuldade.
Ser PortuguÊs é de facto algo que apenas nós compreendemos, fomos oprimidos, invadidos por Franceses, Ingleses, Espanhóis, Mouros, Fenícios, Cartagineses, mas resistimos, sempre, a TUDO! Porque ser Portuga e viver aqui no Burgo tem que se lhe diga.
Quando nos chateiam muito, viramos as costas e voltamo-nos de frente para o Oceano, onde mais não vemos do que um imenso Oceano, portador de tanta da nossa glória, da nossa história, da nossa herança patriótica, de que nos dias que correm, já ninguém se lembra, talvez se lembre o Manuel de Oliveira ou José Hermano Saraiva, mas poucos mais o saúdam…
Sejam Portugueses, sejam capazes de se reínventar, de se adaptarem, de se transformarem…
Sejam fortes, que a força compensa, a crença não é uma doença, é uma vertente da esperança, que a nós nos mostra a dança, que é viver em Portugal.
E tu? o que pensas sobre a doença, que afecta o planeta, não largada por um cometa, mas pelo sistema evolutivo, que dita regras e regulamentos, afecta os pensamentos, mas nos transporta para o futuro.
Prenderes-te no passado, é um erro injustificado, que mais dia menos dia, acaba com o bailado, das vozes que discordam, daqueles que cedo acordam, para o mundo dignificar.
Força Portugal, que a ti te quero tanto.
E tu meu bom amigo, que tens feito entretanto? Queme dizes de teu encanto?

Anúncios

One thought on “O que dizes tu?

  1. Pois.. perdemos tempo em fte a ecrans em vez de ir beber um cafezito q seja com amigos q pode ser muito mais enriquecedor.Quanto ao encanto de Tugali.. é verdade fomos um povo bravo! ( influencia milanese ainda! loli)a epoca dos descobrimentos foi brilhante! devemo-nos orgulhar do nosso pais e continuar a dignifica-lo! bujinhus Di

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s