Quanto mais se lê…

Uma conclusão um tanto ao quanto parva, a que tenho chegado ultimamente, é que o ser humano se torna tanto mais inteligente, quanto mais material escrito tem a capacidade e a possibilidade de ler.
Ou seja, quem lê é inteligente, e quem não lê, é parvo, é estúpido, é BURRO!
Meus amigos, ler é de facto muito importante, acima de tudo, ler material que não tenha qualquer imagem, que nos faça, IMAGINAR, criar mundos nas nossas modestas e deturpadas mentes e deixar o cérebro evoluir, criar, inventar, projectar mentalmente através da visão do pensamento, as características´físicas do material que lemos.
Creio que o cerne da questão reside mesmo no trabalho que se deve dar à imaginação. Não é preciso pensar muito para cada um de nós perceber a importância real que tem esta nobre capacidade do ser humano, mas deixo-vos então um conselho, leiam, estimulem as pessoas com quem passam mais tempo a ler também, pais, filhos, amigos, namoradas, namorados, avós, tias, tios, vizinhos, empregados de café, amigos do futebol, bla,bla,bla… mas acima de tudo, leiam, não só no tempo livre mas também no tempo ocupado. Parece que já estou a ver, o país inteiro na leitura, a imaginar, e o Sócrates a passear…
É isso, toca tudo a ler, porque se lermos todos, eles não têm para quem pregar, e limitam-se só a roubar o povo, sem que nos custe nada.

Anúncios

A vida não está fácil

Bem sei que o título dado a este pequeno epitáfio, é por todos já sobejamente conhecido, mas, mas nada.
Quem tiver a coragem e a simultaneamente a honra de ler esta parvoíce, mais uma daquelas tão boas com que vos tenho presenteado, perceberá, ou talvez não consiga mesmo perceber (se assim for paciência, também ninguém morre…) a razão pela qual assim resolvi chamar esta estupidez traduzida em palavras.
Ora, comecei a trabalhar…
Muitos de vós estarão a pensar várias e distintas coisas, mas aqueles que têm alguma estima e apreço pela minha mui nobre e leal personalidade, terão um pensamento em comum, pelo menos este têm de ter, se não o têm, é porque ou não gostam tanto de mim assim, ou simplesmente são uns bois. Assim, como eu dizia, aqueles que nutrem algum carinho pela minha distinta e estúpida pessoa, estarão a pensar:
“Estás a trabalhar? Boa pá, ainda bem, vais ganhar umas pastas para os teus gastos, e sempre passas o tempo. Mas já agora, e como ainda não disseste, estás a trabalhar em quê? Ainda não disseste…” Aqueles que não gostam tanto de mim assim, ou que simplesmente são uns bois, estarão a pensar o seguinte:
“Fod….. Tás a trabalhar? Já não era sem tempo. Tinhas medo de magoar as mãos era? Ou achavas que isso de andar a tirar o curso de profissional a limpar rabos a meninos e contar histórias para eles adormecerem ( Esclarecendo que as pessoas que não gostam tanto de mim assim, ou que simplesmente são uns bois, tem esta marcada e brilhante designação para a Licenciatura em Educação de Infância) dava dinheiro a alguém… Vai mas é trabalhar malandro!!
Mas já agora, ’tás a trabalhar em quê? A ensinar os míudos a fazer desenhos é?? Ou a explicar-lhes como é que se põe a comida a aquecer no micro-ondas, ou então ainda melhor, trabalhas como professor de atar atacadores e de não comer macacos do nariz? hahaha…”
Pois bem, para todos vocês, os que gostam muito, os que gostam mais ou menos e os que não gostam tanto assim ou então são uns bois, estou a trabalhar no Oceanário de Lisboa.. Incha Porco, vai buscar, toma… embrulha…
Mas agora é que vem a a parte boa, então e o que é que o senhor Educador de infância, que ainda não exerceu a sua licenciatura e que agora se vai tornar num mestre em Jornalismo, está a fazer no Oceanário??
– Eu??
– Ando para lá, bem longe dos peixes a fazer… a … bem… eu… ahhhh….
Pico bilhetes na entrada da exposição dos Monstros Marinhos…
Pronto, agora é aquela parte em que simultaneamente, aqueles que gostam de mim, os que gostam mais ou menos, os que não gostam tanto assim ou então são uns bois, se juntam todos em uníssono e soltam uma gargalhada igualzinha aquela que soltam quando vêm alguém a cair, ou a ser completamente encharcado por um carro que passa junto a um passeio onde mora uma poça do tamanho do Rio Tejo…
É verdade, ando a picar bilhetes.. Ganho 2.60 euros à hora, tenho subsídio de alimentação, estou 5 horas de pé, num raio de acção de aproximadamente 7 metros quadrados, e… mais nada.. pico bilhetes e indico às pessoas, onde fica o Oceanário, sim o maior da Europa, o segundo maior do mundo, porque o primeiro é no Canadá.
Creio que neste momento, até os bois e os que não gostam assim tanto de mim, estão com uma cara estranha e com um minúsculo sentimento de pena..
Mas deixem-se disso.. afinal de contas farto de praticar o Inglês e o Espanhol, com os quais me dou muito bem, a quem simplesmente tenho de perguntar se têm bilhete, se já foram ao Oceanário e se ainda não foram, apenas tenho de lhes indicar o caminho que está mesmo debaixo das suas maravilhosas e estrangeiras FUÇAS.
Bem, podia ser pior, mas como diz a minha santa mãe, a vida está difícil filho.